SEM GRILHETAS NEM SENSURA

SEM GRILHETAS NEM SENSURA

NOTA:

NESTE BLOGUE, todos os títulos possuem hiperligação relacionada no YOUTUBE.

AOS AMANTES DO CONHECIMENTO E DA VERDADE OBJECTIVA

A TODOS AQUELES QUE GOSTAM DE VER E DE SABER PARA ALÉM DA SUBJECTIVIDADE E DA VERDADE OCULTA.

PESQUISAR NESTE BLOGUE

PORTAL DE AGOSTINHO DA SILVA

PORTAL DE AGOSTINHO DA SILVA
O FILOSOFO DE PORTUGAL

segunda-feira, 3 de maio de 2010

QUE FUTURO?











E se o homem tivesse saltado da antiguidade clássica sem passar pelos milénios do obscurantismo inquisitorial da idade média?
Pelo certo já teríamos ido bem mais longe.
- Não! Tanto assim…dirão alguns que também é necessário conhecer o "mau" para avaliar o "bom". Assumidamente não concordo, infelizmente as gerações facilmente esquecem o passado.  
O mundo já viveu democracias, repúblicas, socialismos, comunismos, fascismos e outras ditaduras, (istas e ismos) umas abertamente violentas e outras, por cá andantes, disfarçadas, como lobos em pele de cordeiro ou urubus com aspecto de pombas e, por aí, grassam em “demokracía” cantada, “manipolazione delle mace”.
Nunca se viveu, nunca se conseguiu construir uma sociedade anárquica. É tabu, é proibido pensar; dizem que é utópico; que é de loucos, impossível de …etc. etc. etc… porque, alegam, onde houver duas cabeças pensantes há conflito. Claro que pode e deve haver conflito mas não é forçoso que haja agressão, violência e é isso que tem sido, “per secula seculorum” a cultura predominante.
Simplesmente exemplificando:
Suponhamos uma casa, onde vive um casal com filhos, avós, primos tios etc., (toda a família vivente) e todos se entreajudam mas, sem “matriacaria”, "paterfamilias" gurus, nem "presidenti
mandantes, “senza elezioni o commedia dell'arte”.
Concordantes vivem comummente, ouvintes e conversantes, sobrevivem educadamente, com respeito mútuo e sem atropelos… sem choques “da juventude” e outros mais; que estes, como (todos os outros) seus vizinhos, sem grades, nem muros, nem fronteiras, viveriam da mesma forma, “con amore, amicizia, passione, ecc”.
É utopia? Ou seria a forma mais libertadora deste nosso primitivismo marcadamente macacóide?!...
Existem várias teorias filosóficas anárquicas mas, a anarquia em si não tem que ser imposta, regulada, apenas assumida, porque sendo deixa se o ser. Seria uma anarquia sem projecto vinculativo, alicerçado na auto-educação, esclarecimento e verdade.
Imaginemos uma sociedade, livre de preconceitos, dogmas, e sem guerras, exércitos, polícias, fiscais, tribunais e outras coisas mais "…" nefastas que a nossa sociedade consome e digere avidamente. Dá que pensar, ou não…!?
Vai ser preciso a manipulação genética, a nano ciência, a engenharia biónica, "manipolazione del genoma umano" as células artificiais e tudo misturado na futura robótica, para modificar a humanidade!? Interessante…! Mas o futuro vai ser esse.
J.M.B.D.,"in opinioni contrastanti".





NOTA: Sobre a anarquia e outras opiniões que manifesto. Como disse a minha ex-professora de filosofia: «Ele quis nos dar a cicuta a beber mas só a bebe quem quiser»; mais disse também: «A cultura e a sabedoria são um pau de dois bicos, para alguns interessa para publicitar mas não para suportar». 





















Sem comentários: