SEM GRILHETAS NEM SENSURA

SEM GRILHETAS NEM SENSURA

NOTA:

NESTE BLOGUE, todos os títulos possuem hiperligação relacionada no YOUTUBE.

AOS AMANTES DO CONHECIMENTO E DA VERDADE OBJECTIVA

A TODOS AQUELES QUE GOSTAM DE VER E DE SABER PARA ALÉM DA SUBJECTIVIDADE E DA VERDADE OCULTA.

PESQUISAR NESTE BLOGUE

PORTAL DE AGOSTINHO DA SILVA

PORTAL DE AGOSTINHO DA SILVA
O FILOSOFO DE PORTUGAL

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

O IMPÉRIO COLONIAL FRANCÊS


O império colonial francês foi um conjunto de colónias que a França estabeleceu em África, América, Ásia e Oceânia entre os séculos XVI e XX.


As primeiras tentativas dos franceses para estabelecerem colónias no Brasil, na França Antártica, foi tentada pelos franceses no Rio de Janeiro que existiu de 1555 a 1560, ano em que os restantes franceses foram, definitivamente, derrotados pelos portugueses em 1555, e na Flórida, em 1564 em Fort Caroline, actualmente Jacksonville, a maior cidade do estado norte-americano da Flórida, no Condado de Duval, realizada por huguenotes, denominação dada aos protestantes franceses (quase sempre calvinistas) que não tiveram sucesso, devido à vigilância dos portugueses e dos espanhóis. A tentativa seguinte foi em 1598, em Sable Island, no sudeste da actual província da Nova Escócia no Canadá; esta colónia não teve abastecimentos e os 13 sobreviventes tiveram de voltar a França.


A história do império colonial francês na América começou a 27 de Julho de 1605 com a fundação em Port Royal, actualmente Annapolis  (igualmente na Nova Escócia), da colónia da Acádia, nome dado pelos exploradores franceses para os seus territórios na costa atlântica da América do Norte, durante os séculos XVII e XVIII, indo desde os actuais Estados americanos do Maine e de Vermont até às ilhas da actual província canadiana da Terra Nova e Labrador.

Depois da fundação em Port Royal, em 1605, Samuel de Champlain funda uma colónia no Quebec em 1608. Esta colónia passa a ser a capital da enorme, mas pouco povoada, Colónia da "Nova França" (também chamada "Canadá"), que tinha como objectivo o comércio de peles.
 
Nas Caraíbas, a França colonizou as Ilhas de Martinica, Guadalupe, Saint-Pierre e Miquelon, além do Haiti. A ilha de Saint Martin foi dividida com a Holanda.



Foram os seguintes, os actuais países africanos que se tornaram independentes da França, no século XX: Marrocos; Tunísia; Guiné-Conacri; Camarões; Togo; Senegal; Madagáscar; Benim; Níger; Burkina Faso; Costa do Marfim; Chade; Congo; Gabão; Mali; Mauritânia; Argélia; Comores e Djibouti.

Ainda vários territórios africanos continuam sob administração francesa, depois de vários referendos: a ilha de Mayotte, nas Comores, um departamento francês entre o Oceano Índico e o Canal de Moçambique, no Arquipélago das Comores, do qual é a ilha mais oriental. Compreende a Ilha Mayotte propriamente dita, também conhecida por Mahoré ou Grande Terre, e duas ilhas bem menores: Pamanzi (ou Petite Terre) e Chissioi m'Zamboro e a ilha da Reunião em francês Réunion, também um departamento francês no Oceano Índico, localizado a leste de Madagáscar cuja ilha principal é uma das duas maiores Ilhas Mascarenhas, sendo o seu vizinho mais próximo a Maurícia. A ilha Reunião tem, no entanto, várias dependências, espalhadas em torno de Madagáscar, no Índico e no Canal de Moçambique, cuja capital é Saint-Denis.


Têm estatuto de região administrativa, assim como a Martinica, a Guadalupe e a Guiana Francesa e várias outras ilhas que dependem administrativamente deste departamento ultramarino, mas que são reclamadas por Madagáscar e Maurícia.

Sem comentários: