SEM GRILHETAS NEM SENSURA

SEM GRILHETAS NEM SENSURA

NOTA:

NESTE BLOGUE, todos os títulos possuem hiperligação relacionada no YOUTUBE.

AOS AMANTES DO CONHECIMENTO E DA VERDADE OBJECTIVA

A TODOS AQUELES QUE GOSTAM DE VER E DE SABER PARA ALÉM DA SUBJECTIVIDADE E DA VERDADE OCULTA.

PESQUISAR NESTE BLOGUE

PORTAL DE AGOSTINHO DA SILVA

PORTAL DE AGOSTINHO DA SILVA
O FILOSOFO DE PORTUGAL

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

IMPERIUM ROMANUM (Gália e Lusitânia)

CLICAR NO TÍTULO ACIMA

Gália era o nome romano dado, na Antiguidade, para as terras dos celtas na Europa ocidental, compreende o actual território da França, algumas partes da Bélgica e da Alemanha e o Norte da Itália.
Dividia-se em duas regiões:

Gália Cisalpina, aquém dos Alpes, relativamente aos romanos, que compreendia a Itália setentrional e foi por muito tempo ocupada por tribos gaulesas;
Gália Transalpina, além dos Alpes, vasta região da costa sul da actual França e o seu interior, situada entre os Alpes, os Pirenéus, o Atlântico e o Rio Reno.

Habitada por grande número de tribos celtas e gaulesas, entre outras, iberos, lígures e armóricos, a Gália Transalpina foi o centro de uma civilização influenciada, desde o século VI a.C., por duas correntes de civilização helénica - Mediterrâneo e Alpes.
A Gália tinha uma forte organização religiosa em assembleia anual de druidas.
Os Gauleses dedicavam-se principalmente à agricultura e dividiam as terras por tribos; nos séculos III e IV a.C., invadiram o norte da Itália. As lutas civis enfraqueceram-na: em 222 a.C., o território ao sul dos Alpes foi declarado província romana, sob a denominação de Gália Cisalpina; em 125 a.C., os romanos anexaram o corredor do Ródano e o Languedoc ou Languedoque foi uma antiga província de França e que agora integra parte da região Languedoc-Roussillon.

O Rubicão (Rubico, em latim; Rubicone, em italiano) é o antigo nome latino de um riacho no norte da Península Itálica. Na época romana, corria para o Mar Adriático, entre Ariminum (atual Rimini) e Cesena,  fazia parte da fronteira com a própria Itália. A área ao Norte do Rio Pó (Padus em latim) percorre uma extensão de 652 quilómetros de Ocidente para Oriente, ao longo do Norte da Itália (Piemonte, Lombardia e Véneto), até desaguar no Mar Adriático, perto de Veneza, era conhecida como Gália Transpadana e ao sul como Gália Cispadana.

Do outro lado dos Alpes tinha a Gália Transalpina, ou simplesmente Província, de onde provém a denominação actual Provença, após a sua anexação em 121 a.C. cuja capital era Narbo.
Júlio César recebeu o comando das duas províncias gálicas em 59 a.C. De 58 a 51 a.C., apoderou-se progressivamente de toda a Gália, apesar da oposição de vários chefes, notadamente de Vercingetórix, que, em 52 a.C., após ter promovido uma sublevação geral dos gauleses, rendeu-se na Alésia sitiada.

César, ao longo das guerras gálicas, expandiu a Gália Transalpina até ao Atlântico, ao canal da Mancha e ao Rio Reno.
A cidadania romana foi estendida à Gália Transpadana por César em 49 a.C. e toda a Gália Cisalpina foi incorporada à Itália por Augusto, deixando com isto de ser província; a Gália Cispadana havia recebido a cidadania romana em 90 a.C.).
Augusto, em 27 a.C., dividiu a Gália a norte dos Alpes em Gália Narbonense, que ficou sob o controle do Senado, e Gália Lugdunense ou Lionense (Lyon), Gália Aquitânia e Gália Belga, que ficou sob a sua própria administração. Lyon era da jurisdição da assembleia provincial das "Três Gálias".

Hispânia, foi o nome dado pelos antigos romanos a toda a Península Ibérica, actuais: 

Portugal, Espanha, Andorra, Gibraltar e uma pequena parte a sul da França. Durante a república romana a Hispânia foi dividida em duas províncias:

Hispânia Citerior e Hispânia Ulterior. Durante o Principado, a Hispânia Ulterior foi subdividida em duas novas províncias: a Bética em latim Baetica e a Lusitânia, enquanto a Hispânia Citerior foi rebaptizada para Tarraconense.

Mais tarde, a parte ocidental da Tarraconense foi desanexada, inicialmente como Hispânia Nova, depois rebaptizada como Callaecia ou Galécia, correspondente à actual Galiza, Norte de Portugal, Astúrias e parte de Leão.

Durante a tetrarquia de Diocleciano (284 d.C.), o sul da Tarraconense foi desanexado para constituir a província cartaginense.

O conjunto de todas as províncias hispânicas formavam uma única diocese civil, sob a direcção do vigário de Hispaniae, cujas competências se estendiam também à Mauretânia Tingitana, ao redor de Tânger que, portanto, eram oficialmente consideradas 'hispânicas'.

O antigo Reino da Mauritânia não corresponde ao território da actual República Islâmica da Mauritânia, na costa do oceano Atlântico ao sul do Saara Ocidental.

Sem comentários: