SEM GRILHETAS NEM SENSURA

SEM GRILHETAS NEM SENSURA

NOTA:

NESTE BLOGUE, todos os títulos possuem hiperligação relacionada no YOUTUBE.

AOS AMANTES DO CONHECIMENTO E DA VERDADE OBJECTIVA

A TODOS AQUELES QUE GOSTAM DE VER E DE SABER PARA ALÉM DA SUBJECTIVIDADE E DA VERDADE OCULTA.

PESQUISAR NESTE BLOGUE

PORTAL DE AGOSTINHO DA SILVA

PORTAL DE AGOSTINHO DA SILVA
O FILOSOFO DE PORTUGAL

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

POESIA DO MAR


Do Mar O Canto e o Encanto

Sentir:
A manhã calma.
Viver!...

Sentir:
O Dia Nascer,
O barulho do mar,
O levantar do Sol,
A Luz a raiar,
A força nos remos;
No bote, a gingar.

O soprar da brisa,
Na face a bater;
O cheiro do Mar,
Na fronte a passar.

O piar da gaivota,
Livre a voar…
A sereia a cantar
E o encanto do Mar.

Sentir:
O tempo a faltar;
A ânsia do medo,
De não voltar;
Do pouco viver.
Da falta de ter,
Um outro Mar!
O homem que ama é livre de amar! …

Sentir:
A falta do tempo parar!
O silêncio do Mar;
A manhã a findar.

A força do vento…
Do vento a cantar.

As ondas do Mar,
No bote a bater!

A sereia a cantar
No vento a soprar
E o encanto do Mar.
Meu sonho de ter
Um outro Mar…

Sentir:
O medo!?
Minha ânsia de chegar…
O tempo a faltar!
O piar da gaivota,
Livre a voar.

Meu sonho de mar…
O homem que ama é livre de amar!
É LIVRE DE VIVER …

Montijo, 4/8/90
José Douradinha

1 comentário:

Diamantino Santos disse...

Poesia com ritmo de mar, com ritmo de vida.
Gostei